Noneto de eletrônica híbrida, Lavoura promove diálogo entre arte e tecnologia

Formado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo desde 2005, o Lavoura alia vanguarda, grooves e a interação cinemática entre sons e imagens. Atualmente, o grupo se apresenta como um noneto, com dois artistas visuais.

Desde 2014, com o lançamento de Photosynthesis, o grupo vem de dedicando a levar sua música para palcos não convencionais, como galerias de arte, museus e ruas.
O grupo também busca promover o diálogo com outras expressões artísticas, realizando uma série de colaborações com artistas de distintas áreas e também na área de educação, ministrando oficinas que visam promover a autonomia e a liberdade artística.
Photosynthesis foi mixado pelo compositor, músico e produtor Pipo Pegoraro, com quem o Lavoura já havia trabalhado no disco anterior, Nu Steps. O quarto álbum saiu de maneira independente em 2014 e posteriormente pela netlabel japonesa Bump Foot, em 2015, sob licença Creative Commons.
Photosynthesis também é o nome da instalação/espetáculo audiovisual com projeção mapeada concebida coletivamente pelo grupo ao lado do artista visual venezuelano Carlos Pedreañez e de Daniel Todeschi. O cenário, que remete ao neoconcretismo, é do arquiteto e cenógrafo Flávio Lima.
O conceito da síntese solar também inspira o Photosynt, sintetizador reativo à luz desenvolvido por Caleb Mascarenhas com projeto de Paulo Pires, com impressão em 3D.
O noneto de eletrônica híbrida é formado por Paulo Pires (bateria), Caleb Mascarenhas (synths), Fernando TRZ (synths, piano elétrico), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta), Thiago Duar (guitarra e programações), Daniel Todeschi (VJ) e Carlos Pedreañez (VJ).
english version
Lavoura is a São Paulo, Brasil, group dedicated to the hybridisms between brazilian jazz and eletronic music.
The new electronic jazz scene from São Paulo is born cosmopolitan and urban, inside future beats wave and along with the cinematic dialogue between the sound and the visual arts. At the same time, the movement drinks aesthetics of masters such as Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão and Azymuth.
In its new incarnation, the fusion of the 70s returns as phusion also mixed version and multicultural as did the pioneers, but by enabling machines and instruments to join the remix culture, hip hop and electronic ghetto. Hybrid, this new mutation mix groove and avant-garde jazz oriented.
Again, the jazz in it’s permanent rebellion, shows abilities to adapt, receive and give influence. And more important brings the soul, mind and body with equal power in an indivisible whole.
By combining the research of sound, visuals and technology, Lavoura becomes ground for an electronic art with Brazilian and Latin characteristics.

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published.