Lavoura apresenta Photosynthesis no Sesc Ribeirão

Lavoura por Gabriel Quintão

O Lavoura se apresenta no dia 10 de agosto no Sesc Ribeirão às 20h30, na área de convivência. O grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia trafega pelos hibridismos entre o future-jazz, música brasileira, afro-latina e oriental, enquanto que visualmente apoia-se em paisagens cinemáticas, na arte contemporânea e na psicodelia digital. Este conjunto de [...]

FLYER-SESC-RIBEIRAO-FINAL

O Lavoura se apresenta no dia 10 de agosto no Sesc Ribeirão às 20h30, na área de convivência.

O grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia trafega pelos hibridismos entre o future-jazz, música brasileira, afro-latina e oriental, enquanto que visualmente apoia-se em paisagens cinemáticas, na arte contemporânea e na psicodelia digital.

Este conjunto de elementos de som e imagem, com projeções mapeadas e cenografia, propicia um ambiente imersivo para o espectador.

Formado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo, o Lavoura integra uma cena cosmopolita e urbana bebe na estética de mestres como Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão e Azymuth.

Em sua nova encarnação, a fusão dos anos 70 retorna como “phusion”, versão mestiça e multicultural como fizeram os pioneiros, mas agora integrada à cultura do remix, ao hip hop e à eletrônica gueto. Híbrida, essa nova mutação une groves e vanguarda, orientadas pelo jazz.

Após Photosynthesis, lançado em 2014, o grupo começa a preparar o sucessor do disco, com participações especiais de convidados, músicos e artistas visuais, em processo que resultará no quinto álbum do grupo.

“Dentro da filosofia das colaborações, soltaremos singles e EPs do Lavoura e de outros projetos e formações diferentes. Estamos desenvolvendo experiências de gravações em diferentes estúdios, no Casa Azul e Pipa, em São Paulo, e no Timbrão, em São Carlos. O primeiro single será “MM Moods”, tema do Marcelo Monteiro,” afirma o grupo.

Mais informações no site do sesc:
http://www.sescsp.org.br/programacao/100943_LAVOURA+PHOTOSYNTHESIS

Mercado de Peixe

Mercado de Peixe

O Mercado de Peixe segue com a turnê Água da Faca, em junho, com shows nos dias 15, no Sesc Bauru, dia 16, Sesc São Carlos e dia 23, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo.

A banda de Bauru ficou conhecida ao fundir elementos de música contemporânea e caipira, em uma espécie de paralelo ao movimento Mangue, que sugeriu unir a cultura pop e o popular, mas que no caso do Mercado ganharam características do caipira paulista e da inspiração calcada na realidade das cidades do interior.

São cidades urbanas, conectada com as vanguardas mundiais por vezes de forma tão ou mais original que nas capitais. Em Água da Faca, as referências interioranas se fundem à música de tuaregs, ciganos e na herança latina e indígena, evocada no Caminho do Peabiru, tema central do disco e do EP anterior.

A banda também lança em junho o seu primeiro documentário, um média metragem que acompanha a primeira parte da turnê Água da Faca em Bauru, São Carlos, Ribeirão Preto e São Paulo.O vídeo é dirigido por Conrado Dacax e João Flávio Lima, da Kelemu Filmes.

Links:

Vídeo de Água da Faca, single e faixa-título do disco:
https://www.youtube.com/watch?v=jwgvzwbmYIE

Link para audição:
https://soundcloud.com/mercado-de-peixe/sets/agua-da-faca/s-ItWLd

Baixe com um clique:

http://www.mediafire.com/download/njy7682etm7cvn7/Mercado_de_Peixe_Água_da_Faca_(2015).zip

​Chamado de pós-caipira por fazer uma fusão envolvendo cultura pop e referências do interior de São Paulo, como a viola, a sanfona e as letras inspirados nos “causos”, o Mercado de Peixe apresenta seu oitavo disco “Água da Faca” e o primeiro documentário sobre a banda formada há 20 anos em Bauru.

No vídeo, assinado pela Kelemu Filmes (Conrado Dacax e João Flávio Lima), aparecem os integrantes da banda e os músicos que participaram do álbum “Água da Faca”: o cantor e guitarrista Saulo Duarte, vencedor do Prêmio da Música Brasileira 2015; o percussionista Rômulo Nardes, da banda Bixiga 70; as cantoras Tika e Kika; o percussionista Junião; e o cantor e multi-instrumentista Pipo Pegoraro. Este último também mixou o trabalho, que tem direção musical do multi-instrumentista e produtor Fernando TRZ, responsável pelos arranjos, acordeons e synths.
Em “Água da Faca”, a banda que foi uma das pioneiras em folclore digital e segue experimentando as fusões envolvendo a cultura popular, adiciona africanismos e latinidades ao seu caldeirão referências. Ao mesmo tempo em que se aproxima das pistas de danças e dos guetos globais, a ligação com a natureza presente no disco é resultado de uma série de imersões realizadas da banda no sítio São Lucas, em Piratininga, a 15 km de Bauru.Isolados da civilização, eles compuseram e fizeram os arranjos para as músicas que posteriormente ganharam registro em estúdios em São Paulo, Bauru e São Carlos.

Sobre o Mercado de Peixe

Formado em 1996, em Bauru, o Mercado de Peixe surgiu como um grupo que se dedicava à música brasileira e à cultura popular. Seu primeiro álbum, “Aparições”, com registros de apresentações ao vivo, saiu em 99.No começo dos anos 2000, o grupo passou a pesquisar a cultura caipira e a incorporar viola, acordeon e as temáticas interioranas ao som.

Em 2001, após dois shows no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, apresentou o EP “A Saga Low Tech do Caipira 1”, sucedido por ‘A Saga Low Tech do Caipira 2′, em 2002.

“Roça Elétrica”, de 2003, relançado pela gravadora Atração, em 2004, levou a banda à grande mídia e consolidou o hibridismo das sonoridades e temáticas da cultura caipira com eletrônica, rock e black music.

Em 2006, o grupo explorou novos caminhos ao assimilar referências de afrobeat, música latina e letras mais livres. A experiência desembocou no álbum “Territórios Interioranos”, em 2008. Em 2010, a banda voltou aos palcos e, em 2013, com a turnê XV.

Em 2014, o Mercado lançou o EP “Caminho do Peabiru”. “Água da Faca” saiu em 2015, com shows em Bauru, Piratininga, Ribeirão Preto, São Carlos e São Paulo, no Sesc Pompeia. O primeiro documentário sobre a banda está previsto para junho de 2016, com direção de Conrado Dacax e João Flávio Lima (Kelemu Filmes).

TRZ Trio estreia em São Paulo no Lo-Fi Jazz Festival durante a Virada Cultural

trz divulgacao 03

O TRZ Trio, projeto do instrumentista e produtor musical Fernando TRZ faz sua estreia em São Paulo neste domingo no Lo-Fi Jazz Festival Acompanhado por Paulo Almeida, na bateria, e Fabiano Nunes, no contrabaixo, dois destacados músicos do interior de São Paulo, Fernando TRZ fundou seu primeiro projeto solo TRZ TRIO e gravou seus dois primeiros dois EPs instrumentais, “Volume [...]

Captura de Tela 2016-05-17 às 01.26.21
O TRZ Trio, projeto do instrumentista e produtor musical Fernando TRZ faz sua estreia em São Paulo neste domingo no Lo-Fi Jazz Festival

Acompanhado por Paulo Almeida, na bateria, e Fabiano Nunes, no contrabaixo, dois destacados músicos do interior de São Paulo, Fernando TRZ fundou seu primeiro projeto solo TRZ TRIO e gravou seus dois primeiros dois EPs instrumentais, “Volume 1” (2015) e “Volume 2” (2016), em formato digital.

Com o lançamento de “Volume 2”, em 2016, os músicos consolidaram a sonoridade do trio, que tem como base o jazz e o groove, mas com roupagem contemporânea e dançante. Para isso, eles se utilizam de elementos rítmicos e harmônicos da música eletrônica contemporânea, do nu jazz, afrobeat, hip hop, urban, trap e soulful music.

Com participação de Emílio Martins (percussão), em todas as faixas, e Lucas Neves (bandolim), o disco tras duas faixas compostas por TRZ, “Lumiar” e “Alvorada”, e uma de Paulo Almeida, “Ueare”, além de “Terra de Ninguém”, tema de Marcos Valle.

IMG_2837

“O som que fazemos tem paralelo com o nu jazz ou future-jazz, subgênero do jazz contemporâneo, surgido nos anos 2000 que cresce muito e se dissemina até́ hoje. Artistas como Kamasi Washington, Flying Lotus, Robert Glasper, Thundercat, Taylor Macferrin, Hyatus Kayote, Quantic, Mark de Clive-Lowe, Bonobo, 4 Hero, são a prova dessa ascensão e consolidação da nova cena alternativa do jazz”, afirma TRZ.

Ao mesmo tempo em que o trio traz seu repertório autoral de seus dois primeiros álbuns, o grupo presta tributos, com arranjos sonfisticadas, a grandes maestros e compositores brasileiros como Moacir Santos, João Donato, Marcos Valle.

Ouça o álbum TRZ Trio Vol.2:

BIO
Fernando “TRZ” Falcoski, tecladista, produtor musical e sound designer, tem formação em piano popular e design gráfico, pela Unesp Bauru, SP. Começou a atuar na música independente em Bauru, no final da década de 90, e circulando muito pelo interior de São Paulo, fase que passou a integrar a banda Mercado de Peixe e assinando as produções musicais do selo da banda, o Samacô Records.
Em 2004 mudou-se para São Paulo, fase que acompanhou artistas renomados e integrou diversas bandas da cena independente, como Cérebro Eletrônico, Pipo Pegoraro, Lucas Santtana, Aláfia, Kika, Maria Alcina, Porcas Borboletas, Flavião e o Retrofuturismo, Tika, além de sua banda instrumental de nu jazz, o Lavoura (http://lavoura.art.br/).
Atualmente TRZ se estabeleceu em São Carlos e fundou seu novo grupo, o TRZ TRIO e abriu seu próprio estúdio, o Timbrão, onde vem gravando, e lançando novas produções musicais/audiovisuais e novos artistas.

Assista ao video-clipe da faixa “Limiar”:

SERVIÇO
FESTIVAL LO FI JAZZ
Museu da Casa Brasileira Dias 21 e 22 de maio Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 Grátis

Veja programação e infos completas do Festival Lo-Fi Jazz:
http://www.mcb.org.br/pt-BR/programacao/especial/festival-lo-fi-jazz-virada-cultural-2016-no-mcb

Siga TRZ
/fernandotrz
@fernandotrz

Lavoura encerra 1º dia do Lo-Fi Jazz Festival durante Virada de SP

Lavoura por Gabriel Quintão

  Grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia, o Lavoura encerra o primeiro dia do festival Lo-Fi Jazz, que ocorre nos dias 21 e 22 de maio no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, durante a Virada Cultural. Veja programação e infos completas abaixo: http://www.mcb.org.br/pt-BR/programacao/especial/festival-lo-fi-jazz-virada-cultural-2016-no-mcb Sonoramente, o Lavoura trafega pelos hibridismos entre o [...]

 

Lavoura por Gabriel Quintão

Lavoura por Gabriel Quintão

Grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia, o Lavoura encerra o primeiro dia do festival Lo-Fi Jazz, que ocorre nos dias 21 e 22 de maio no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, durante a Virada Cultural.

Veja programação e infos completas abaixo: http://www.mcb.org.br/pt-BR/programacao/especial/festival-lo-fi-jazz-virada-cultural-2016-no-mcb

Sonoramente, o Lavoura trafega pelos hibridismos entre o future-jazz, e a música brasileira, afro-latina e oriental, enquanto que visualmente apoia-se em paisagens cinemáticas, arte contemporânea e psicodelia digital. Este conjunto de elementos de som e imagem, com projeções mapeadas e cenografia, propicia um ambiente imersivo para o espectador, em uma busca por uma arte eletrônica com características brasileiras e latinas.

Após Photosynthesis, lançado em 2014, o grupo começa a preparar o sucessor do disco, com participações especiais de convidados, músicos e artistas visuais, em processo que resultará no quinto álbum do grupo.

“Dentro da filosofia das colaborações, soltaremos singles e EPs do Lavoura e de outros projetos e formações diferentes. Estamos desenvolvendo experiências de gravações em diferentes estúdios, no Casa Azul e Pipa, em São Paulo, e no Timbrão, em São Carlos. O primeiro single será “MM Moods”, tema do Marcelo Monteiro,” afirma o grupo.

O Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria, programações), Caleb Mascarenhas (synths, programações), Fernando TRZ (synths, piano elétrico, programações), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta), Thiago Duar (guitarra), Daniel Todeschi (VJ) e Carlos Pedreañez (VJ).

SERVIÇO
FESTIVAL LO FI JAZZ
Museu da Casa Brasileira Dias 21 e 22 de maio Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 Grátis

LINKS: Ouça Lavoura no Soundcloud:

https://soundcloud.com/lavoura_music/sets/photosynthesis

Vídeo do show “Photosynthesis” no Sesc Vila Mariana: https://www.youtube.com/watch?v=rmqIxEdc-wI

Lavoura no MusicNonStop
http://www.musicnonstop.com.br/grupo-lavoura-mostra-seu-nu-jazz-puxado-no-molho-de-brasilidades-nesta-sexta/

Documentário sobre o Lavoura produzido pela Sesc TV: http://youtu.be/kdPxhFj6ySs?list=PLE_JffV-cX4owJNfWRDT6bnZwlVGAsKrP

Site oficial
http://lavoura.art.br

Spotify
https://open.spotify.com/artist/4Fm1sNae75bBkK7ZJWCMvI

Lavoura e TRZ Trio são atrações do Lo-Fi Jazz Festival durante Virada de SP

flyer lo fi jazz lavoura trz

Lavoura e TRZ Trio estão escalados para o festival Lo-Fi Jazz, que ocorre nos dias 21 e 22 de maio, durante a Virada Cultural de São Paulo, no Museu da Casa Brasileira. Grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia, o Lavoura encerra o primeiro dia do festival, que terá alguns dos nomes mais quentes [...]

flyer-lo-fi-jazz-lavoura-trz-web

Lavoura e TRZ Trio estão escalados para o festival Lo-Fi Jazz, que ocorre nos dias 21 e 22 de maio, durante a Virada Cultural de São Paulo, no Museu da Casa Brasileira.

Grupo de músicos, produtores e artistas de tecnologia, o Lavoura encerra o primeiro dia do festival, que terá alguns dos nomes mais quentes da nova cena de São Paulo como Guizado, Mental Abstrato e Solana Allstars, projeto do produtor Bid (Chico Science).

Já o TRZ Trio, projeto do músico e produtor Fernando TRZ faz sua estreia em São Paulo no domingo.

Veja programação, e infos completas abaixo:

http://www.mcb.org.br/pt-BR/programacao/especial/festival-lo-fi-jazz-virada-cultural-2016-no-mcb

SERVIÇO FESTIVAL LO FI JAZZ
Museu da Casa Brasileira Dias 21 e 22 de maio, das 12h as 22h
Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 Grátis

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Release LAVOURA

Após Photosynthesis, lançado em 2014, o Lavoura começa a preparar o sucessor do disco, com participações especiais de convidados, músicos e artistas visuais, em processo que resultará no quinto álbum do grupo. “Dentro da filosofia das colaborações, soltaremos singles e EPs do Lavoura e de outros projetos e formações diferentes. Estamos desenvolvendo experiências de gravações em diferentes estúdios, no Casa Azul e Pipa, em São Paulo, e no Timbrão, em São Carlos. O primeiro single será “MM Moods”, tema do Marcelo Monteiro,” afirma o grupo.

O Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria, programações), Caleb Mascarenhas (synths, programações), Fernando TRZ (synths, piano elétrico, programações), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta), Thiago Duar (guitarra), Daniel Todeschi (VJ) e Carlos Pedreañez (VJ).

Ouça Lavoura

Soundcloud:
https://soundcloud.com/lavoura_music/sets/photosynthesis

Vídeo do show “Photosynthesis” no Sesc Vila Mariana:
https://www.youtube.com/watch?v=rmqIxEdc-wI

Documentário sobre o Lavoura produzido pela Sesc TV:
http://youtu.be/kdPxhFj6ySs?list=PLE_JffV-cX4owJNfWRDT6bnZwlVGAsKrP

Site oficial:
http://lavoura.art.br


Release TRZ TRIO

“O novo EP do TRZ Trio vem para mostrar que o jazz brasileiro está mais vivo do que nunca e traz nova roupagem, sofisticada e dançante, aproximando gêneros e épocas” [ Fabiano Alcântara, Portal Vírgula ]

Acompanhado por Paulo Almeida, na bateria, e Fabiano Nunes, no contrabaixo, dois destacados músicos do interior de São Paulo, Fernando TRZ fundou seu primeiro projeto solo TRZ TRIO e gravou seus dois primeiros dois EPs instrumentais, “Volume 1” (2015) e “Volume 2” (2016), em formato digital, e lançou em seu próprio site (fernandotrz.com.br).

Com o lançamento de “Volume 2”, em 2016, os músicos consolidaram a sonoridade do trio, que tem como base o jazz e o groove, mas com roupagem contemporânea e dançante. Para isso, eles se utilizam de elementos rítmicos e harmônicos da música eletrônica contemporânea, do nu jazz, afrobeat, hip hop, urban, trap e soulful music.

Com participação de Emílio Martins (percussão), em todas as faixas, e Lucas Neves (bandolim), o disco tras duas faixas compostas por TRZ, “Lumiar” e “Alvorada”, e uma de Paulo Almeida, “Ueare”, além de “Terra de Ninguém”, tema de Marcos Valle.

“O som que fazemos tem paralelo com o nu jazz ou future-jazz, subgênero do jazz contemporâneo, surgido nos anos 2000 que cresce muito e se dissemina até́ hoje. Artistas como Kamasi Washington, Flying Lotus, Robert Glasper, Thundercat, Taylor Macferrin, Hyatus Kayote, Quantic, Mark de Clive-Lowe, Bonobo, 4 Hero, são a prova dessa ascensão e consolidação da nova cena alternativa do jazz”, afirma TRZ.

Ao mesmo tempo em que o trio traz seu repertório autoral de seus dois primeiros álbuns, o grupo presta tributos, com arranjos sonfisticadas, a grandes maestros e compositores brasileiros como Moacir Santos, João Donato, Marcos Valle.

BIO TRZ - Fernando “TRZ” Falcoski, tecladista, produtor musical e sound designer, tem formação em piano popular e design gráfico, pela Unesp Bauru, SP. Começou a atuar na música independente em Bauru, no final da década de 90, e circulando muito pelo interior de São Paulo, fase que integrou a banda Mercado de Peixe e assinando as produções musicais do selo da banda, o Samacô Records.
Em 2004 mudou-se para São Paulo, fase que acompanhou artistas renomados e integrou diversas bandas da cena independente, como Cérebro Eletrônico, Pipo Pegoraro, Lucas Santtana, Aláfia, Kika, Maria Alcina, Porcas Borboletas, Flavião e o Retrofuturismo, Tika, além de sua banda instrumental de nu jazz, o Lavoura (http://lavoura.art.br/).
Atualmente TRZ se estabeleceu em São Carlos e fundou seu novo grupo, o TRZ TRIO e abriu seu próprio estúdio, o Timbrão, onde vem gravando, e lançando novas produções musicais/audiovisuais e novos artistas.

Ouça TRZ TRIO

Soundcloud
http://soundcloud.com/fernandotrz/sets/trz-trio-vol2

Clipe Youtube
https://www.youtube.com/watch?v=sIkcRFIIALE

Hybrid electronics nonet, Lavoura starts collabs with others musicians, producers and visual artists

Ilustração de Giorgia Massetani

Now a nine members group, Lavoura links groove and avant-garde jazz oriented, while visually relies on space imaginary and geometrical figures, the handmade and the clash between art & craft and the digital culture. This set of elements of sounds and images with mapped and scenario projections, provides an immersive environment to the public. Since [...]

Now a nine members group, Lavoura links groove and avant-garde jazz oriented, while visually relies on space imaginary and geometrical figures, the handmade and the clash between art & craft and the digital culture.

This set of elements of sounds and images with mapped and scenario projections, provides an immersive environment to the public. Since 2003, when it appeared as a duo, the group has been ground for trials involving an electronic art with Brazilian and Latin characteristics.

Released independently in 2014, Photosynthesis, fourth album, gained prominence in radio and sites in the alternative media from 11 countries: England, France, Spain, Russia, Canada, Greece, South Africa, Japan, Ireland, Czech Republic and Netherlands.

The new working group will partner with other musicians, producers and visual artists. 

Lavoura is formed by Paulo Pires (drums, programming), Caleb Mascarenhas (synths, programming), Fernando TRZ (synths, electric piano, programming), Fabiano Alcantara (bass), Junião (percussion), Marcelo Monteiro (sax, flute), Thiago Duar (guitar, producer), Daniel Todeschi (VJ) and Carlos Pedreañez (VJ).

Lavoura se apresenta no Sesc Vila Mariana com nova formação

Lavoura por Gabriel Quintão

Antes um quarteto, o Lavoura estreia nova formação, com sete integrantes, no Sesc Vila Mariana, no dia 8/4. O grupo amplia, desta maneira, as possibilidades de relacionar groove e vanguarda, orientados pelo jazz, enquanto que, visualmente, apoia-se nos ambientes espaciais, nas figuras geométricas, no feito à mão e no mash-up entre artesanal e digital. Este [...]

Captura de Tela 2016-04-01 às 12.48.00

Antes um quarteto, o Lavoura estreia nova formação, com sete integrantes, no Sesc Vila Mariana, no dia 8/4. O grupo amplia, desta maneira, as possibilidades de relacionar groove e vanguarda, orientados pelo jazz, enquanto que, visualmente, apoia-se nos ambientes espaciais, nas figuras geométricas, no feito à mão e no mash-up entre artesanal e digital.

Este conjunto de elementos de sons e imagens, com projeções mapeadas e cenário, propicia um ambiente imersivo para o espectador. Desde 2003, quando surgiu como uma dupla, o grupo vem sendo terreno para experimentações envolvendo uma arte eletrônica com características brasileiras e latinas.

Lançado de maneira independente em 2014, Photosynthesis, quarto álbum do grupo, ganhou destaque em rádios e sites na mídia alternativa de 11 países: Inglaterra, França, Espanha, Rússia, Canadá, Grécia, África do Sul, Japão, Irlanda, República Tcheca e Holanda.

O novo trabalho do grupo terá parcerias com outros músicos, produtores e artistas visuais, sendo que o guitarrista Thiago Duar, e o VJ Carlos Pedreañez, que participam do show, serão os primeiros convidados.

O Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria, programações), Caleb Mascarenhas (synths, programações), Fernando TRZ (synths, piano elétrico, programações), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta) e Daniel Todeschi (VJ).

Ouça Lavoura em:
https://soundcloud.com/lavoura_music/sets/photosynthesis

Foto: Gabriel Quintão

 

Lavoura se une ao Garagem FabLab e encerra #SemanaMaker

Cartaz FabLab

O Lavoura faz gratuito neste domingo (20), às18h, no encerramento da #SemanaMaker, do Garagem FabLab e Oficina Lab. O grupo de eletrônica híbrida tem se apresentado em espaços não convencionais, como galerias, oficinas e nas ruas, estreitando o diálogo com outras manifestações artísticas e com as novas tecnologias. O Garagem FabLab é parceiro do Lavoura no desenvolvimento [...]

Cartaz FabLab

O Lavoura faz gratuito neste domingo (20), às18h, no encerramento da #SemanaMaker, do Garagem FabLab e Oficina Lab.

O grupo de eletrônica híbrida tem se apresentado em espaços não convencionais, como galerias, oficinas e nas ruas, estreitando o diálogo com outras manifestações artísticas e com as novas tecnologias.

O Garagem FabLab é parceiro do Lavoura no desenvolvimento do Photosynth, sintetizador reativo à luz criado por Caleb Mascarenhas, com projeto de Paulo Pires, impresso em 3D.

250420141572

Nesta última apresentação de 2015, o septeto mostra repertório do disco Photosynthesis, lançado de maneira independente em 2014 e posteriormente pela netlabel japonesa Bump Foot, em 2015, sob licença Creative Commons.

Photosynthesis também é o nome da instalação/espetáculo audiovisual com projeção mapeada concebida coletivamente pelo grupo ao lado do artista visual venezuelano Carlos Pedreañez e do brasileiro Daniel Todeschi. O cenário, que remete ao neoconcretismo, é do arquiteto e cenógrafo Flávio Lima.

O Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria), Caleb Mascarenhas (synths), Fernando TRZ (synths, piano elétrico), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta) e Daniel Todeschi (VJ).

Saiba mais em:
http://www.semanamaker.com.br/
http://lavoura.art.br/

Lavoura faz set de influências com versões de Coltrane, Cinematic Orchestra, Azymuth e outros

FLYER-JAZZ-B

O Lavoura se apresenta no dia 30/11 no Jazz B (rua General Jardim, 43), em São Paulo. Neste show, o septeto mostra um repertório especial com influências do grupo, incluindo versões de John Coltrane, Jimmy Smith, Donald Byrd, Cinematic Orchestra, Visioneers, Azymuth, Marcos Valle e Deodato. Com quatro álbuns lançados, em 12 anos de carreira, o Lavoura se [...]

FLYER-JAZZ-B

O Lavoura se apresenta no dia 30/11 no Jazz B (rua General Jardim, 43), em São Paulo. Neste show, o septeto mostra um repertório especial com influências do grupo, incluindo versões de John Coltrane, Jimmy Smith, Donald Byrd, Cinematic Orchestra, Visioneers, Azymuth, Marcos Valle e Deodato.

Com quatro álbuns lançados, em 12 anos de carreira, o Lavoura se dedica aos hibridismos entre jazz e música eletrônica. “Photosynthesis”, o trabalho mais recente, foi mixado pelo músico e produtor Pipo Pegoraro, com quem já haviam trabalhado no disco anterior, “Nu Steps”. O álbum foi lançado de maneira independente em 2014 e este ano pela netlabel japonesa Bump Foot.

Atualmente, o septeto vem de dedicando a promover o diálogo com outras expressões artísticas e espaços, tendo se apresentado este ano na Made – Mercado, Arte e Design, em galerias de arte e nas ruas, como no projeto Jazz na Escadaria. O Lavoura também lançou seu festival, o Phuture, na Serralheria, no qual recebeu as bandas Mental Abstrato com participação de Tássia Reis, Marcelo Monteiro Sexteto e os VJs Rica Ramos, PPires, os DJs Dudão Melo e Samuel Subcultura.

BIO LAVOURA

Septeto de música eletrônica orgânica que se dedica aos hibridismos entre jazz, música brasileira e latina, o Lavoura é um grupo da nova cena de São Paulo que nasce cosmopolita e urbana, dentro dos movimentos de future beats e aliando o diálogo cinemático entre o som e as artes visuais. Ao mesmo tempo, bebe na estética de mestres como Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão e Azymuth.

Em sua nova encarnação, a fusão dos anos 70 retorna como “phusion”, versão mestiça e multicultural como fizeram os pioneiros, mas agora usando máquinas e instrumentos que permitam aderir à cultura do remix, ao hip hop e à eletrônica gueto. Híbrida, essa nova mutação une groves e vanguarda, orientadas pelo jazz.

Ao combinar a pesquisa de som, visual e tecnologia, o Lavoura vem sendo terreno fértil para experimentações envolvendo uma arte eletrônica com características brasileiras e latinas. Fundado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo desde 2005, o Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria), Caleb Mascarenhas (synths), Fernando TRZ (synths, piano elétrico), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta) e Daniel Todeschi (VJ).

Confirme presença no evento no facebook:
https://www.facebook.com/events/545469312268482/
Saiba mais e garanta seu ingresso no site do Jazz B:
http://jazzb.net/#s8729

Lavoura faz show especial de influências no Jazz B em São Paulo

FLYER-JAZZ-B

O Lavoura se apresenta no dia 30/11 no Jazz B (rua General Jardim, 43), em São Paulo. Neste show, o septeto mostra um repertório especial com influências do grupo, incluindo versões de John Coltrane, Jimmy Smith, Donald Byrd, Cinematic Orchestra, Visioneers, Azymuth, Marcos Valle e Deodato. Com quatro álbuns lançados, em 12 anos de carreira, o Lavoura se [...]

FLYER-JAZZ-B

O Lavoura se apresenta no dia 30/11 no Jazz B (rua General Jardim, 43), em São Paulo. Neste show, o septeto mostra um repertório especial com influências do grupo, incluindo versões de John Coltrane, Jimmy Smith, Donald Byrd, Cinematic Orchestra, Visioneers, Azymuth, Marcos Valle e Deodato.

Com quatro álbuns lançados, em 12 anos de carreira, o Lavoura se dedica aos hibridismos entre jazz e música eletrônica. “Photosynthesis”, o trabalho mais recente, foi mixado pelo músico e produtor Pipo Pegoraro, com quem já haviam trabalhado no disco anterior, “Nu Steps”. O álbum foi lançado de maneira independente em 2014 e este ano pela netlabel japonesa Bump Foot.

Atualmente, o septeto vem de dedicando a promover o diálogo com outras expressões artísticas e espaços, tendo se apresentado este ano na Made – Mercado, Arte e Design, em galerias de arte e nas ruas, como no projeto Jazz na Escadaria. O Lavoura também lançou seu festival, o Phuture, na Serralheria, no qual recebeu as bandas Mental Abstrato com participação de Tássia Reis, Marcelo Monteiro Sexteto e os VJs Rica Ramos, PPires, os DJs Dudão Melo e Samuel Subcultura.

BIO LAVOURA

Septeto de música eletrônica orgânica que se dedica aos hibridismos entre jazz, música brasileira e latina, o Lavoura é um grupo da nova cena de São Paulo que nasce cosmopolita e urbana, dentro dos movimentos de future beats e aliando o diálogo cinemático entre o som e as artes visuais. Ao mesmo tempo, bebe na estética de mestres como Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão e Azymuth.

Em sua nova encarnação, a fusão dos anos 70 retorna como “phusion”, versão mestiça e multicultural como fizeram os pioneiros, mas agora usando máquinas e instrumentos que permitam aderir à cultura do remix, ao hip hop e à eletrônica gueto. Híbrida, essa nova mutação une groves e vanguarda, orientadas pelo jazz.

Ao combinar a pesquisa de som, visual e tecnologia, o Lavoura vem sendo terreno fértil para experimentações envolvendo uma arte eletrônica com características brasileiras e latinas. Fundado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo desde 2005, o Lavoura é formado por Paulo Pires (bateria), Caleb Mascarenhas (synths), Fernando TRZ (synths, piano elétrico), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta) e Daniel Todeschi (VJ).

Confirme presença no evento no facebook:
https://www.facebook.com/events/545469312268482/
Saiba mais e garanta seu ingresso no site do Jazz B:
http://jazzb.net/#s8729

Noneto de eletrônica híbrida, Lavoura promove diálogo entre arte e tecnologia

Lavoura em foto de Gabriel Quintão

Formado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo desde 2005, o Lavoura alia vanguarda, grooves e a interação cinemática entre sons e imagens. Atualmente, o grupo se apresenta como um noneto, com dois artistas visuais. Desde 2014, com o lançamento de Photosynthesis, o grupo vem de dedicando a levar sua música para palcos não convencionais, como [...]

Formado em Bauru, em 2003, e radicado em São Paulo desde 2005, o Lavoura alia vanguarda, grooves e a interação cinemática entre sons e imagens. Atualmente, o grupo se apresenta como um noneto, com dois artistas visuais.

Desde 2014, com o lançamento de Photosynthesis, o grupo vem de dedicando a levar sua música para palcos não convencionais, como galerias de arte, museus e ruas.
O grupo também busca promover o diálogo com outras expressões artísticas, realizando uma série de colaborações com artistas de distintas áreas e também na área de educação, ministrando oficinas que visam promover a autonomia e a liberdade artística.
Photosynthesis foi mixado pelo compositor, músico e produtor Pipo Pegoraro, com quem o Lavoura já havia trabalhado no disco anterior, Nu Steps. O quarto álbum saiu de maneira independente em 2014 e posteriormente pela netlabel japonesa Bump Foot, em 2015, sob licença Creative Commons.
Photosynthesis também é o nome da instalação/espetáculo audiovisual com projeção mapeada concebida coletivamente pelo grupo ao lado do artista visual venezuelano Carlos Pedreañez e de Daniel Todeschi. O cenário, que remete ao neoconcretismo, é do arquiteto e cenógrafo Flávio Lima.
O conceito da síntese solar também inspira o Photosynt, sintetizador reativo à luz desenvolvido por Caleb Mascarenhas com projeto de Paulo Pires, com impressão em 3D.
O noneto de eletrônica híbrida é formado por Paulo Pires (bateria), Caleb Mascarenhas (synths), Fernando TRZ (synths, piano elétrico), Fabiano Alcântara (baixo), Junião (percussão), Marcelo Monteiro (sax, flauta), Thiago Duar (guitarra e programações), Daniel Todeschi (VJ) e Carlos Pedreañez (VJ).
english version
Lavoura is a São Paulo, Brasil, group dedicated to the hybridisms between brazilian jazz and eletronic music.
The new electronic jazz scene from São Paulo is born cosmopolitan and urban, inside future beats wave and along with the cinematic dialogue between the sound and the visual arts. At the same time, the movement drinks aesthetics of masters such as Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão and Azymuth.
In its new incarnation, the fusion of the 70s returns as phusion also mixed version and multicultural as did the pioneers, but by enabling machines and instruments to join the remix culture, hip hop and electronic ghetto. Hybrid, this new mutation mix groove and avant-garde jazz oriented.
Again, the jazz in it’s permanent rebellion, shows abilities to adapt, receive and give influence. And more important brings the soul, mind and body with equal power in an indivisible whole.
By combining the research of sound, visuals and technology, Lavoura becomes ground for an electronic art with Brazilian and Latin characteristics.

Phuture Festival highlights electronic jazz scene in São Paulo

flyer-fotomontagem

The new São Paulo electronic jazz scene is born cosmopolitan and urban, inside future beats wave and along with the cinematic dialogue between the sound and the visual arts. At the same time, the movement drinks aesthetics of masters such as Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um [...]

flyer-fotomontagem

The new São Paulo electronic jazz scene is born cosmopolitan and urban, inside future beats wave and along with the cinematic dialogue between the sound and the visual arts. At the same time, the movement drinks aesthetics of masters such as Raul de Souza, Eumir Deodato, Moacir Santos, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, João Donato, Dom Um Romão and Azymuth.

In its new incarnation, the fusion of the 70s returns as phusion also mixed version and multicultural as did the pioneers, but by enabling machines and instruments to join the remix culture, hip hop and electronic ghetto. Hybrid, this new mutation mix groove and avant-garde jazz oriented.

Again, the jazz in it’s permanent rebellion, shows abilities to adapt, receive and give influence. And more important brings the soul, mind and body with equal power in an indivisible whole. The Phuture, by combining bands, DJs and VJs, becomes ground for an electronic art with Brazilian and Latin characteristics.

Curated by Fabiano Alcantara (journalist, musician) and Fernando TRZ (musician, music producer, designer), the first edition of Phuture receives Lavoura, Mental Abstrato featuring Tássia Reis, Marcelo Monteiro Sextet; the DJs Dudão Melo, Samuel Subcultura and Amadeu Zoe, and VJs Daniel Todeschi, PPires and Rica Ramos.

Mental Abstrato

https://soundcloud.com/mental-abstrato

Tássia Reis

https://soundcloud.com/t-ssia-reis

Lavoura
https://soundcloud.com/lavoura_music

Marcelo Monteiro
https://soundcloud.com/marcelomonteirosax

DJ Dudão Melo
https://soundcloud.com/dud-o-melo

Amadeu Zoe (barulho.org)
https://soundcloud.com/dadaradio

DJ Samuel Subcultura
https://soundcloud.com/samuelsubcultura

Phuture | Lavoura + Mental Abstrato feat. Tássia Reis + Marcelo Monteiro Sexteto + DJ Samuel Subcultura (Soundstation) + VJ Daniel Todeschi (Jardim Elétrico) + Tag Tool Sessions com Paulo Pires + VJ Rica Ramos + DJ Amadeu Zoe (Dada Radio)
Serralheria | Rua Guaicurus, 857. Phone: 2592 39 23
07/11/15, 17h
Tickets: From 5PM to 6PM(free); from 6PM to 8PM (R$ 15); from 9PM until the end (R$ 25)
More at: http://escapeserralheria.org/

Tickets in advance (entrance anytime):
http://www.gorockbee.com/sabado-7-nov–phuture-festival